terça-feira, 27 de dezembro de 2011

ANDRÉ: DISCÍPULO

ANDRÉ: DISCÍPULO DE JESUS.


Era pescador de profissão, em Betsaida e discípulo de João Batista. Este estava com dois discípulos quando Jesus ia passando, e disse: "Eis aí o Cordeiro de Deus".Ouvindo estas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus. Jesus virou-se para traz e, vendo que o seguiam perguntou: "O que vocês estão procurando?" Eles disseram: "Rabí, onde moras?" Jesus respondeu: "Venha e vocês verão." eles foram e começaram a viver com Jesus naquele mesmo dia. Eram mais ou menos 4:00 horas da tarde(João 1, 36-39) André irmão de simão Pedro era um dos que ouviam as palavras de João batista, e seguiram Jesus. Ele encontrou seu irmão Simão e lhe disse: "Nós encontramos o Messias." Então André apresentou Simão a Jesus. (João 1, 40-42)


Festa comemorada no dia: 30/novembro


Da revista "Rainha dos Apóstolos)

sábado, 17 de dezembro de 2011

NATAL

 
O povo esperava a chegada do Messias, (Salvador). E todos pensavam que Êle se manifestaria como um Rei poderoso, mas nasceu uma criança pobre, foi  colocada em uma manjedoura, porque seus pais não tinham onde colocá-lo. Jesus nasceu num curral entre os bichinhos, para nos dar o exemplo de humildade.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

OS APÓSTOLOS DE JESUS

  • O apóstolo, segundo Paulo, é alguém chamado por Deus, para pregar o Evangelho e ser embaixador de Cristo. Êle tem que ser testemunha da vida e da ressurreição de Jesus. Deve ter recebido o Espírito Santo, em cuja virtude êle governa  a comunidade, na qual continua a obra de Cristo, sendo o servo de todos.
  • E no início de sua caminhada, Jesus, escolheu doze, pra serem seus discípulos, são êles: Simão, chamado Pedro e seu irmão André. Tiago e seu irmão João, filhos de Zebedeu. Filie e Bartolomeu, Tome e Mateus, o cobrador de impostos. Tiago, filho de Alfeu  e Tadeu. Simão, o cananeu e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

NATAL

Dezembro é um mês que gira em torno de uma grande festa: O Natal; em que se recorda e celebra o nascimento de Jesus. Nos países de tradição cristã, esta data e esta festa tornaram-se quase a festa mais importante do ano. Na realidade, a liturgia e a tradição cristã, têem na Páscoa , Celebração  da morte e ressurreição de Jesus, a maior festa do calendário litúrgico. Porque aí os cristãos celebram o fato central da redenção e salvação da humanidade. Isto não significa que o Natal não tenha significado. Tem e muito. Porque marca  o nascimento daquele que se tornou, pela sua vida, morte e ressurreição, nosso guia, salvador e Senhor.  (Da Revista Rainha dos Apóstolos)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

JESUS NASCEU

Era chegado a hora e o tempo  que o Verbo Encarnado haveria de nascer... Na pequena Belém, para onde José e Maria se dirigiram para o censo decretado pelos romanos, não havia lugar para eles. Em vão procuram um lugar para se hospedarem e repousarem. após tanta procura, recolheram-se a uma estrebaria pública onde havia uma manjedoura. 
Era um lugar onde os cavalos e os viajantes paravam para descansar e refazer as forças. Assim era o cenário onde o santo casal se alojou.ali jesus nasceu e Maria pode acolhê-lo em seus braços e adorá-lo. A gruta e a manjedoura foram o palácio e o berço de ouro em que o Rei dos reis nasceu. Os Anjos, como testemunhas do nascimento de Jesus, entoavam hinos de louvor."Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens de boa vontade".E assim, na maior humildade, na maior simplicidade, nasceu o Redentor do mundo. O seu nascimento veio abalar toda a humanidade ao ponto de contar nova idade dos povos, que ficaram divididos em dois tempos: "Antes de Cristo" e "Depois de Cristo. com Jesus veio à terra uma nova esperança para todos os povos.


(Revista Rainha dos Apóstolos)

domingo, 2 de outubro de 2011

JESUS

Jesus aparece na história humana quando o povo de Deus alimentava a esperança de reconquistar a liberdade e a vida e de poder dispor da própria terra sem os mandos e desmandos de potências estrangeiras. Jesus reúne seguidores, ensina e age como Mestre. Seu ensinamento baseia-se no amor sem limites, sobretudo pelos pequenos, fracos e excluídos. Jesus vem revelar o projeto de vida de Deus Pai, o mesmo projeto da aliança que Deus havia feito com o povo no tempo de Moisés, e que tinha sido abandonado. Nesse projeto, não havia lugar para a violência. Jesus ensinava a amar até os inimigos. Não havia lugar para a exploração: Jesus criticou o comércio que se fazia no templo de Jerusalém, que havia transformado um lugar de oração em "toca de ladrões" Tendo incomiodado lideranças judaicas, que viram seu poder ameaçado e tiveram o apoio de autoridades romanas, que não queriam se comprometer com agitações populares, Jesus foi condenado à morte, mas sua vida não terminou na Cruz. Depois de três dias, Êle reapareceu aos discípulos, vivo novamente, ressuscitado. (Do livro: Primeiros passos com a Bíblia)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

ABREVIATURAS DOS LIVROS DA BÍBLIA

Atenção minhas crianças lindas e maravilhosas. Vamos aprender hoje as abreviaturas dos livros Bíblicos? Então vamos lá. Por ordem alfabética. Amanhã vamos falar sobre capítulos e versículos tá? Então até amanhã


Ab Abdias

Ag Ageu

Am Amós

Ap Apocalípse

At Atos dos Apóstolos

Br Baruc

Cl Colossences

1 Cor 1ª Carta aos Coríntios

2 Cor 2ª Carta aos Coríntios

1 cr 1ª Livro das crônicas

2 cr 2ª livro das crônicas

ct Cântico dos cânticos

Dn Daniel

Dt Deuteronômio

Ecl Eclesiastes

Eclo Eclesiástico

Ef Carta aos Efésios

Esd Esdras

Est Ester

Ex Exõdo

Ez Ezequiel

Fi Carta aos Filipenses

Fm Carta a Fílemon

Gl carta aos Gálatas

Gn Gênesis

Hab Hacuc

Hb Carta aos hebreus

Is Isaías

Jd Carta de Judas

Jl Joel

Jn Jonas


Jo Evangelho segundo João

1 Jo 1ª carta de João

2 Jo 2ª carta de João

3 Jo 3ª carta de João

Jr Jeremias

Js Josué

Jt Judite

Jz Juízes

Lc Evangelho segundo Lucas

Lm Lamentações

Lv Levítico

Mc Evangelho segundo Marcos

1mc 1º livro de Macabeus

2mc 2º livro de Macabeus

Mi Malaquias

Mq Miquéias

Mt Evangelho segundo Mateus

Na Naum

Ne Neemias

Nm Números

Os Oséias

1pd primeira carta de pedro

2pd segunda carta de Pedro

Pr Provérbios

Rm Carta aos Romanos

1Rs 1º livro dos Reis

2Rs 2º livro dos Reis

Rt Rute

Sb Sabedoria

Sf sofonias

Sl Salmos

1Sm 1º livro de Samuel

2Sm 2º livro de Samuel

Tb Tobias

Tg Carta a Tiago

1Tm 1ª carta de Timóteo

2Tm 2ª carta de Timóteo

1Ts 1ª carta aos Tessalonicenses

2Ts 2ª carta aos tessalonicenses

Tt Carta a Tito

Zc Zacarias

terça-feira, 23 de agosto de 2011

CORAÇÃO DE PAI

Movido por seu Coração de Pai, Deus busca o homem, que se envereda cada vez mais por caminhos errados. A redenção operada por Cristo, consiste exatamente nisto: trazer o homem de volta, libertando-o do mal. Da encarnação Redentora, brota uma religião que possibilita ao homem participar da vida íntima de Deus, isto é, que o torna filho de Deus, e herdeiro dos bens que competem ao Filho.

domingo, 21 de agosto de 2011

EUCARISTIA AOS OLHOS DE JOÃO PAULO ll

VAMOS LEMBRAR AS PALAVRAS DE JOÃO PAULO ll SOBRE A EUCARISTIA?

A Eucaristia é uma reunião de família, da grande família dos cristãos. O Senhor Jesus quis instituir esse grande Sacramento por ocasião de um importante encontro familiar, a ceia pascal, e naquela ocasião sua família eram os doze apóstolos, que vivam com Êle havia três anos... A Eucaristia reúne ao mesmo tempo a família dos cristãos, manifesta-a aos olhos de todos e estreita os laços que unem aos outros os seus membros.

sábado, 20 de agosto de 2011

OUÇA

OUÇA: MADRE ASSUNTA LHE FALA.

Estamos aqui para fazer a vontade de Deus.

Sem a caridade não podemos realizar nada de bom.

O necessário nos basta, não acumulemos o supérfluo.

Não façamos ninguém sofre.

Procure sempre falar bem de Deus e do próximo.

Deus é nosso Pai e quer somente nosso bem.

É necessário orar e fazer sacrifícios para merecer o céu.

Coloquemo-nos nas mão de Deus e façamos sua vontade.

domingo, 26 de junho de 2011

MAIS ESTÓRIAS

Olá queridos amigunhos e seguidores. Estou preparando outra estória, dentro de alguns dias estará postada aqui. Também minha mãe e irmã que contavam a mim, e ao meu irmão caçula. Saudades das duas que já estão com Deus. Beijos e até lá ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! !

terça-feira, 17 de maio de 2011

ESTÓRIAS




Olá minhas amigas anônimas! Fiquei muito contente com seus comentários. Também tenho muitas saudades de minha mãe, que nos contava muitas histórias, era tão bom ouví-la. De alguma forma, tento não deixar no esquecimento o que me fez tão bem, contando para os meus filhos, e agora com esta feliz idéia de minha filha, que escrevesse no blog, para que todos pudessem ler. Acreditem, me fez muito bem! Estou preparando outra, e logo logo estarei contando. Beijos

quarta-feira, 23 de março de 2011

BÍBLIA

Oi amiga! Nesta Bíblia não tenho também a reconciliação dos dois irmãos, mas prometo
a você que vou dar um jeito e publicar tá? Beijinhos carinhosos. Tereza

HISTÓRIAS DA BÍBLIA

Olá amiguinhos, vamos continuar as postagens com nossa Bíblia?
As histórias são muito interessantes não? E são verdadeiras! Essa é a história do povo hebreu.
Estão gostando né? Beijos Tereza

A HISTÓRIA DE JACÓ




domingo, 6 de fevereiro de 2011

O BURRINHO BRANCA LEÃO

Era uma vez...

  • Havia um burrinho muito leal e fiel a seu dono. Trabalhava de sol a sol, arando a terra, puxando a carroça, e servindo de montaria à criançada, que adoravam passear em seu lombo.
  • Os anos foram passando, e o nosso burrinho continuava seu trabalho, todos os dias, sem se lamentar.
  • Como estava ficando muito velho e cansado, não tinha mais forças para o trabalho. Arar a terra? Não dava mais, puxara a carroça então, Era um desafio para um pobre velho e cansado burro! Ficava aflito e envergonhado o burrinho, pois sabia que seu dono necessitava de seus serviços, mas os anos venceram e o pobre burro já não aguentava quase nem mais andar.
  • Condoído da situação do burrinho, seu dono que era um homem muito bom, resolveu aposentá-lo. Passou-lhe a rédea pelo pescoço, e saiu caminhando, levando consigo o burrinho. Caminhou muito, e ao longe, avistou uma mata com árvores frondosas, e um capim tão tenro e macio, que seria lo lugar perfeito para o burrinho descansar, depois de uma vida inteira de trabalho.
  • As pastagens eram tão ricas, as águas puras e cristalinas de um riacho que serpenteava pela mata. Então disse ao burrinho:
  • "Homem: Olha amigo, você foi meu companheiro durante muitos anos. Trabalhou muito e ajudou a criar os meus filhos, sustentar minha família com todo esforço e dedicação. Desfrutei de sua força bruta, sua docilidade, carregou meus filhos no seu costado em seus passeios, folguedos e brincadeiras. Você merece amigão, esse descanso. Que você possa desfrutar desse capim macio, dessa água cristalina, e da sombra acolhedora de nossas amigas árvores. Você é livre." Deu um abraço em seu amigo e saiu, com o coração já cheio de saudades, desse amigo que tanto o ajudou. Caminhou um pouco e voltou-se para mais uma vez ver seu amigo, e para sua surpresa, viu que um grossa lágrima rolava dos olhos do burrinho. Mas que fazer né? Seguiu adiante.
  • Como memória de burro é muito curta, logo percebeu que estava livre, esqueceu seu dono, e começou a desfrutar de tão merecido descanso. O capim verde era um convite à sua fome. E a água então? era tão cristalina, que o burrinho se via refletido nela como em um espelho.
  • Bem, depois da farta refeição, nada melhor que uma boa soneca à sombra das árvores. E assim, ia vivendo nosso herói; seu corpo ganhou peso, os pelos ficaram lustrosos, e ele sentia suas minguadas forças voltarem.
  • Nesta mesma mata, moravam outros bichos, todos se conheciam e se chamavam pelo nome. Morava também ali um feroz leão, era temido por todos e todos falavam dele com medo, pois sua refeição predileta, eram eles mesmos, os pobres bichos indefesos. O nosso burrinho também tinha muito medo e procurava ficar sempre junto dos outros bichos. Mas, um belo dia, o burrinho se afastou de seus amigos, empolgado com uma moita de capim fresquinho, ainda úmido com o orvalho da noite. comia distraidamente, quando percebeu que alguém falava com ele.
  • "Olá amigo, muito bom dia!" O burrinho levantou a cabeça, e não sabendo que era o leão, foi amigavelmente conversar com ele e "aperta sua mão".
  • "Burrinho: Bom dia amigo! quem é você?" O leão que também não conhecia o burro, fez uma cara de bravo, e disse cheio de empáfia:
  • "Eu? sou o leão, o rei desta floresta, todos os bichos são submissos a mim e me respeitam. E você, quem é?" O burrinho tremendo de medo, achando que o leão ia devorá-lo, não sabia o que dizer; Por fim, teve uma ideia, fingiu ser valente para intimidar o leão e disse:
  • "Burrinho: E eu sou o Branca leão!" O leão ficou assustado, pois nunca tinha ouvido falar em tal bicho, e disse:
  • "Leão: Nossa, de onde você vem, que eu nunca te vi por estas bandas." O burrinho responde:
  • "Burrinho:Eu venho de muito longe, lá onde eu moro, existem muitos de minha raça." O leão que já estava começando a ficar com medo, pensou:
    "Ele vai me comer, vou disfarçar, prá ele não perceber que estou com medo." Por outro lado, o burrinho também estava morrendo de medo e pensava:
  • "Não quero virar comida de leão." E assim, um com medo do outro, iniciaram uma conversação.
  • "Leão: Porque você tem esse ferro nos pés?" O burrinho tinha ferraduras e resolveu tirar vantagens da ignorância do leão.
  • "Burro: Lá na cidade onde eu moro, as ruas são calçadas e muito bonitas, E esse ferro, não é ferro, são os meus sapatos, todos lá andamos calçados, e assim podemos correr, brincar, sem machucar nossos pés." O leão impressionado com a narrativa do burrinho, pensava:
  • " Leão: Nossa, até sapatos ele usa." Olhou para seus próprios pés, sujos, as unhas por fazer, mas não se deu por vencido. disfarçando o medo, perguntou de novo:
  • "Leão: Porque você tem essas costas tão grandes?" O burrinho respondeu:
  • "Burrinho: É para passear com as moças bonitas, me sinto todo honrado carregando-as em minhas costas.
  • ' O coitado do leão ficava com mais medo, mas disfarçava com perguntas. Por sua vez, o burro também estava apavorado. O leão continuou:
  • "Leão: Porque essa cauda tão cheia de pêlos e grossas?"
  • "Burro: Não é cauda, é o meu abanador; Quando estou com calor, eu me abano e me refresco." O coitado do leão até tremia de tanto medo.
  • "Leão: Porque essas orelhas tão grandes?" O burrinho respondeu:
  • "Burro: Não são orelhas, são minhas cornetas, quando estou em algum perigo, eu toco minhas cornetas e meus amigos vêem correndo me socorrer. Também gosto muito de pescar com elas." O leão apavorado disse?
  • "Leão: Pescar? Então você pesca também?" O burrinho respondeu:
  • "Burro: pesco sim." Iam caminhando os dois, até chegarem no rio que tinham que atravessar. O leão saltou na água, e nadou até a outra margem. O nosso burrinho saltou também, mas sem forças para nadar, estava se afogando. O leão pulou no rio e o salvou. Enquanto se afogava, suas orelhas se encheram de peixes, já que o rio era piscoso. O burrinho disfarçou e fingindo uma zanga disse:
  • "Burrinho, Porque você me tirou, não viu que eu estava pescando?"
  • O leão quis bater em retirada, mas pensou mais uma vez em intimidar o burrinho, com suas artimanhas, pois pensava:
  • "Leão: Vou desfiá-lo para uma caçada, porque ele não pode caçar os bichos que eu caço, e assim fez.
  • "Leão: Amigo Branca leão, vamos sair para caçar, no final do dia. nos encontraremos aqui, quem de nós for o melhor, fica sendo o rei da floresta." O burrinho com medo, concordou, e saíram os dois, cada um para um lado. O leão caçou muitos bichos, e voltou para esperar o nosso burrinho, que aflito, sem saber como caçar, deitou-se e chorou amargamente, pois sabia que ia o leão ia comê-lo. Um bando de urubus que voavam por ali à procura de comida, avistaram o nosso burrinho deitado, pensaram que estivesse morto, foram se aproximando devagar e começaram a bicá-lo, para comê-lo. O burrinho escoiceava, e a cada novo coice, ia matando urubus. Satisfeito com a "ajuda" dos urubus, levantou-se, cortou no mato um cipó, amarrou os urubus um a um, jogou-os nas costas, e lá se foi ao encontro do leão que já o esperava bastante impaciente. Ao vê-l o leão gritou:
  • "Oi amigo branca leão, o que foi que você caçou?" O burrinho todo orgulhoso, jogou sua preciosa carga ao chão e disse:
  • "Olha você mesmo! Consegui caçar aves!" O leão ficou até verde de tanto medo, pois pensava:
  • "Leão: Como ele conseguiu caçar essas aves? Sabe de uma coisa? eu vou embora antes que ele me coma." E assim fez.
  • "Leão: Amigo Branca leão, agora vou embora, mas logo volto para conversar mais com você." E o leão se foi... E assim, o nosso pobre burrinho pode respirar aliviado por não ter sido comido pelo leão, e voltou à sua pastagem.
  • Passado o medo, o leão saiu à procura de seu amigo, o compadre lobo, que ouviu a história com a maio atenção. Terminada a narrativa, o lobo disse:
  • "Lobo: Mas compadre leão, do jeito que você está falando, só pode ser um burro!
  • "Leão: Não é compadre lobo, é o Branca leão. O lobo disse:
  • "Lobo: então compadre leão, me leve até ele que quero conhecê lo." O leão com medo disse:
  • "Leão: Está bem compadre, mas vamos amarrar nossas caudas, uma na outra, assim ficamos juntos e protegidos." E assim fizeram. Amarraram as caudas e lá se foram atras do burrinho, que nesse momento fazia uma suculenta refeição, com um capim tenro, macio e verdinho, um verdadeiro manjar para o paladar dos burros. O leão e o lobo se aproximavam; atraído pelo barulho, o burrinho levantou a cabeça, reconheceu o leão, mais o seu compadre lobo, e disse:
  • "Burrinho: Nossa, ele está vindo para me comer, e ainda trouxe seu amigo!" E o coitado ficou tão apavorado, que começou a zurrar, zurrar, como um pobre burro que era. Ao ouví-lo, o leão disse para o compadre lobo:
  • "Leão: Compadre, ele está tocando as cornetas, agora todos os seus amigos, vão vir ajudá-lo." e começou a correr. O lobo não teve tempo de dizer nada. Como estavam com as caudas amarradas, o leão corria mais que o lobo, e o ia arrastando, batendo nas árvores, e em troncos que encontravam pelo caminho. de tanto bater nos galhos, o lobo morreu, mas coitado, morreu com a boca aberta. O leão olhou para trás , pra ver se o Branca leão os estava seguindo, viu o lobo com a boca aberta. Pensando que ele estivesse rindo, disse:
  • "Leão: É compadre, você está rindo, mas o caso não é de rir não... E assim o nosso burrinho pôde enfim gozar de tão merecido descanso ...
  • Moral da história: Não subestime as pessoas, o mais fraco pode ser mais inteligente

'


sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

EXPLICANDO

Olá caros internautas de Deus, amigas seguidoras!

Devido a um problema em minha rede, fiquei sem internete, mais de mês.
Agora resolvido o problema, voltamos com nossas postagens normais.

Breve teremos novidades. Beijos a todos. Tereza

MENSAGEM

MENSAGEM DE UMA MÃE A SEU FILHO, NO DIA DA PRIMEIRA EUCARISTIA:

Sabe, filho, ainda estavas em minha barriga e já sentia amor por você.

Até a música que mais gostava, eram as batidas do seu coração, embalando o meu sonho e as minhas emoções.

Um filho é a maior bênção que alguém já pode ter. Você já sabe falar, andar, brincar, e ainda é o meu bebê. Me faz feliz, e virar uma criança rolando contigo entre teus brinquedos.

A noite, no silêncio de teu quarto, ao pé da cama, junta as mãozinhas e põem-se a falar com Deus.

O tempo passou,e você cresceu.! Hoje não é mais um bebê, e uma pré-adolescência, aponta em você. Novos desafios surgirão, e hoje, neste dia tão especial em sua vida, recebendo Jesus Vivo e Ressuscitado presente na Hóstia Consagrada, meu coração se rejubila. Meu filho, que você faça deste momento, não apenas um, mas o seguimento de sua vida cristã.

Peço a Deus por você, que possa sempre trilhar os caminhos do bem.

Obrigada meu filho, por alegrar os meus dias!!!

Que Deus o abençoe hoje e sempre!!!!!!!!!!!!!!

Sua mãe........

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

AS TRÊS CABEÇAS DE OURO

Olá meus queridos amiguinhos, seguidores deste blog, internautas de Deus!
Como nosso blog é direcionado para a criança, que tal resgatarmos um pouco de uma época, não muito distante; quando ainda se tinha as brincadeiras de
roda entre as meninas, a pipa, o pião entre os meninos, enfim, um monte delas, vamos unir nossas lembranças, e contar histórias, que ouvimos de nossas mães e avós? (eu ouví de minha mãe e minha irmã e contei para os meus filhos: Magali e Afrânio)
Hoje vou contar uma história muito bonita, que lí quando era menina, e nunca mais esqueci.
"AS TRÊS CABEÇAS DE OURO" (DO LIVRO: AS TRÊS CABEÇAS DE OURO )
Era uma vêz... Há muitos e muitos anos passados, em terras muito distante, onde viviam reis, fadas bruxas e duendes, havia um reinado. O rei, a rainha e sua filha, a princesa, viviam muito felizes, e o povo gozava de uma grande alegria, por o rei ser muito bom e fiel aos seus súditos; até que um dia, a rainha adoeceu gravemente e morreu. Passado algum tempo, o rei casou-se de novo, mas sua nova esposa, agora rainha, também viúva e com uma filha, logo se revelou uma pessoa má, que enchia de maus tratos sua enteada a princesinha. Sua filha, um pouco mais velha, também maltratava sua nova irmã.
O tempo foi passando, e a princesa, agora uma linda moça, cansada dos maus tratos de sua madrasta e de sua "irmã', resolveu sair em busca da felicidade. Pediu permissão ao rei, seu seu pai, que fazia todas as suas vontades; (isso deixava as duas, mãe e filha, ainda com mais raiva da princesa)
Assim partiu a princesinha, em busca de sua felicidade...
Andou bastante, o corpo todo doía, os pés cansados e maltratados da caminhada, ardiam sobre a areia quente, a cabeça girava, em virtude do sól escaldante do meio-dia. Caminhou um pouco mais, e encontrou uma frondosa árvore; a princesinha sentou-se para descansar ao lado de um pôço. Abriu sua mochila, e enquanto fazia uma modesta refeição, eis que do pôço surgem três cabeças de ouro, e começam uma cantilena:
"Lava-me princesa amada, com tuas mãos delicadas, Meu rosto da cor da neve;
Penteia após meus cabelos, com todo carinho e zêlo de tua alma generosa;
Prá secar, poê-me no chão, bem pertinho desse pôço ;
De um príncipe lindo e moço, te darei o coração"
Assustada, a princesinha observava as três cabeças, mas como era muito generosa, fêz o que elas haviam pedido. Muito delicadamente, lavou as lavou, penteou seus cabelos, e as colocou para secar, como haviam pedido. Continuando sua refeição, ouviu que as cabeças conversavam entre sí:
"O que faremos com tão bondosa criatura, que nos tratou tão bem, e com tanto carinho?
A primeira disse: "Eu a farei tão rica, mas tão rica e tão feliz, que todos da terra invejarão e sua felicidade e suas riquezas."
A segunda disse: " Eu a farei tão linda, a mais linda de todas as criaturas, que de seu corpo e de seus lábios, exale um delicioso perfume de rosas, que todos se apaixonarão por ela."
A terceira disse: "E eu lhe darei por marido, o mais belo, o mais bondoso e o mais valente de todos os prícipes."
A princesinha ouvia, mas permanecia calada. Ao terminarem o colóquio, pediram que as colocassem de volta ao pôço. Assim ela fêz, com todo o carinho e ao terminar, continuou sua viagem.
Caminhou bastante, e ao entardecer, chegou em um outro reinado; totalmente perdida, não
sabia para onde ir. Nesse momento, passava por alí, uma belo príncipe, em seu garboso cavalo. Ao vê-la, ficou estonteado com tamanha beleza. Aproximou-se e lhe dirigiu a palavra:
"Onde vais linda menina, e quem és tú?"
"Sou uma princesa, e ando em busca de minha felicidade."
Ao falar, desprendeu de seus lábios um delicioso perfume de rosas, e todo seu corpo exalava o mesmo perfume; O príncipe apaixonou-se perdidamente, e a levou para seu castelo.
A princesinha contou sua história, e todos se comoveram. Passado algum tempo, como também estivesse apaixonada pelo príncipe, casaram-se, com uma grande festa e muita pompa.
assim cumpriu-se a profecia, das três cabeças de ouro.
Depois de algum tempo, manifestou a princesa o desejo de visitar seu velho pai, e o príncipe, que também fazia todas as suas vontade, acompanhou-a, com todo seu séquito. Ao se aproximar, seu pai a reconheceu e saiu ao seu encontro muito feliz. Foi dado muita festa em honra da princesa e de seu príncipe. Ao término de uma semana, despediram-se de seu pai, e foram embora prá seu novo lar, em seu castelo. E viveram felizes para sempre, amados pelo seu povo !!!
E lá no palácio de seu pai, sua madrasta se corroía de inveja, até que um dia, chamou suas criadas, mandou que preparassem comida, e roupas finas para sua filha, e a mandou também sair em busca da felicidade.
Percorrendo o mesmo caminho que sua irmã, encontrou a mesma árvore, o mesmo pôço, e também sentou-se para descansar. e como aconteceu com sua irmã, surgiram do pôço as mesmas cabeças de ouro, e começaram a mesma cantilena:
"Lava-me princesa amada, com tuas mãos delicadas meu rosto da cor da neve;
Penteia após meus cabelos, com todo carinho e zêlo de tua alma generosa;
Prá secar poê-me no chão, bem pertinho deste pôço
de um príncipe lindo e môço te darei o coração"
Como era má, agarrou as cabeças pelos cabelos, e foi jogando água. Jogou-as ao lado do pôço para secar, e penteou seus cabelos com toda raiva. As cabeças conversavam estre sí:
"O que faremos com uma criatura que nos tratou tão mal?"
A primeira disse: "Eu a farei tão feia, que todos sentirão medo."
A segunda disse: "E eu farei que de sua bõca e de seu corpo, exale um cheiro horrível de alho."
A terceira disse: "E eu lhe darei por marido, não um belo príncipe, mas um sapateiro remendão."
E assim que terminaram de falar, não acreditando em nada do que elas disseram, jogou as cabeças de volta no pôço com todo desprezo e continuou sua caminhada.
Ao entardecer chegou a mesmo reinado que sua irmã, "que agora era rainha, e vivia feliz com seu rei), mas todos corriam por causa do mau cheiro de alho que desprendia de todo seu corpo.
Um sapateiro que por ali passava, aproximou-se e convidou-a para sua casa, dizendo que tinha uma pomada, que se passada em seu corpo, o horrível cheiro de alho desapareceria, mas ela teria de casar-se com êle. Não tendo outra saída para livrar-se daquele horrível cheiro, casaram-se e depois de um certo tempo foram visitar sua mãe, que ao vê-la casada com um pobre sapateiro, não um principe, ficou com tanta raiva, que não resistiu e morreu.
O rei, seu padastro, os presenteou com algum dinheiro e pôde assim o sapateiro melhorar seus negócios; E enquanto êle fica na sapataria, costurando seus sapatos, a mulher vai à feira vender a couve que colheu no quintal...
(Do livro: As três cabeças de ouro)
E aí, amiguinhos, gostaram?
Moral da história: Não devemos jamais sentir inveja das pessoas. Agradecer a Deus pelo que somos e temos, pois Deus, em sua Infinita misericórdia, sabe o que é melhor para todos nós.

domingo, 2 de janeiro de 2011

ESAÚ E JACÓ

Olá amiguinhos, pequeninos seguidores de Jesus; hoje estamos falando sobre Esaú e Jacó.
Vamos ler, e trocar idéias sobre essa narrativa muito bonita da Bíblia. Beijos...... Tereza