domingo, 2 de novembro de 2008

FINADOS

PARÓQUIA SANT"ANA - SOUSAS "ÊLE CHOROU" Com os sentimentos não se brinca. Sentir algo por alguém ou alguma coisa é o que mais genuíno temos em nós. Saber respeitar o sentimento do outro é dar o valor que êle merece. Os sentimentos fazem parte integralmente da vida humana.
Em nenhum momento, temos o direito de reprimir ou negar os sentimentos e sim saber o que fazer com eles.
Na vida de jesus um fato marcante e profundamente humano, que não diminuiu a grandeza do Homem Deus, e sim o elevou à mais alta dognidade, foi o fato de saber da morte de seu amigo Lázaro e ver Maria Madalena como amiga, triste e preocupada, chorando a partida do seu irmão. ela não esconde a tristeza da separação e Jesus, não nega a sua sincera amizade e chora por alguém que Êle ama. Chorar por alguém é manifestar o mais nobre sentimento de carinho e apreço. Ninguém chora por qualquer coisa. Saber sentir, acolher os nossos sentimento e encaminhá-los para o destino certo, produz equilíbrio humano e espiritual. Dar valor aos sintimentos é sinal de maturidade física e psicológica. Neste dia de finados, quando prestamos a nossa homenagem aos que partiram, certamente o sentimento mais forte é a saudade. Que coisa inexplicável essa tal saudade! ao mesmo tempo, ela é externada pela visita ao cemitério, recordando os momentos bonitos da vida, levando flores, elevando preces, orando e confiando na vida que não morre. O nosso destino é a eternidade, onde a ressurreição é o troféu que vamos receber por ter vivido de acordo com os princípios do Evangelho. Como Êle ressuscitou, nós também ressuscitaremos com Êle para a vida eterna. Jesus afirma: "Eu vou para meu Pai e vosso Pai. Vou preparar um lugar para que onde eu estiver, vós também estejais comigo" (Jo 14, 2-3) Como pessoas
humanas, pessoas com o coração movido por todo tipo de sentimentos, queremos fazer destes, um trampoli para conquistar uma melhor qualidade de vida. Por isso sentir-se humano, e não súper homem, ou súper mulher, é condição para uma existência equilibrada entre o que somos e o que gostaríamos de ser. Ele chorou, porque eu não?
Alguns trechos da homilia deste dia de finados, pelo nosso Pároco Pe.roberto Fransolin

Nenhum comentário: