segunda-feira, 14 de julho de 2008

ANO PAULINO


O apóstolo Paulo, embora não faça parte do grupo dos doze, é no entanto o Apóstolo por excelência. Foi o maior pregador do Evangelho, e o que mais lutou na formação das primeiras comunidades cristãs. Antes êle era perseguidor dos cristãos. A Bíblia nos conta que Saulo indo para Damasco, com autoridade dos judeus, para prender e matar os discípulos de Cristo. Perto da cidade porém, foi envolvido por uma forte luz. Estonteado e cego, caiu por terra, e ouviu uma voz que lhe dizia: "Saulo, Saulo, porque me persegues?". Êle respondeu: "Quem sois Senhor?" O Senhor lhe disse: "Eu sou Jesus, a quem persegues". Novamente perguntou Saulo: "Senhor, que quereis que eu faça?" A voz respondeu: "Levanta-te e vai para a cidade. Lá será dito o que deves fazer" Saulo era o nome que tinha antes, depois passou a chamar-se Paulo. Então Saulo foi para a cidade, e lá por ordem de Deus, estava um discípulo de Jesus chamado Ananias, que lhe foi ao encontro.Logo caiu dos olhos de
Saulo umas escamas e desapareceu a cegueira.Depois foi batizado e se preparou para anunciar o Reino de Deus.. Tão apaixonadamente perseguia a Igreja de Cristo antes de sua conversão que, depois de convertido, ainda causava receio a muitos cristãos, pois pensavam que êle estivesse armando uma traição. Ouvido, porém, a sua palavra e vendo o seu exemplo, todos se encheram de grande alegria. Paulo ia para uma cidade, organizava uma "Igreja", depois partia para outra cidade, e continuava orientando aquela comunidade através de cartas. Há na Bíblia, 14 cartas escritas por êle: Carta de São Paulo aos Filipenses, aos Romanos, aos Efésios, aos Coríntios, aos Tessalonicenses, aos Gálatas, aos Colossenses, aos Hebreus, a Timótio, a Filêmon a Tito. E quando Paulo visitava uma comunidade cristã, sua palavra domorava duas ou três horas. Paulo encontrou grandes dificuldades na pregação do evangelho, mas dizia: "A Palavra de Deus não está presa". E mandava que todos ajudassem a difundir o Evangelho por todos os meios, a todos os povos.Viajou por dezenas de cidades e lugares diversos. Sofreu muitas perseguições, açoites e até naufrágio quando ia para ser julgado em Roma, pelo Imperador. Paulo deu a vida pela Igreja, no dia 29 de junho, em Roma, juntamente com São Pedro. Seu martírio, porém foi pela espada, pois era cidadão romano, e a lei não permitia que fôsse crucificado. Era baixo de estatura, corajoso, tinha o dom da palavra, e era de uma atividade incansável.

Nenhum comentário: